Home » Posts tagged 'habilidades'

O auto-coaching no desenvolvimento das competências

coaching3O aprendizado integral, fisiologicamente falando, parte de estímulos internos e externos. Estes, geram novas conexões cerebrais, para que ocorram novas referências e a posterior mudança de comportamento. Considerando que nosso nível consciente é a mínima parte daquilo que nosso cérebro é capaz de produzir, os processos de coaching trabalham com estímulos que visam atingir os processos subconscientes.

A expressão”coaching” origina-se do termo Inglês que significa treinador. Diferentemente de um professor, o treinador não ensina, ele estimula. Assim, o princípio se mantém, o que muda são os contextos: do meio esportivo, passamos para o corporativo. O coachee (treinador) pode ajudar um jogador a remover ou reduzir obstáculos internos à sua performance, e uma habilidade natural inesperada fluirá sem que haja necessidade de muitos ensinamentos técnicos. No meio corporativo, temos um mesmo objetivo: aprimorar as habilidades e competências através de estímulos, focado nos processos subconscientes.

O self-coaching parte do mesmo princípio, porém apoiado em uma prática mais autônoma. Compreende toda a metodologia e ferramentas de coaching que possibilitem a autoaplicação e atuem de forma eficiente.

Mas o que são habilidades e competências? Parecem a mesma coisa, mas na verdade são complementares. A habilidade é o conhecimento e desenvoltura que temos ao realizar uma determinada atividade. Podemos dizer ter habilidade manual, habilidade na escrita, na leitura… Já as competências são a utilização destas habilidades no dia a dia. Quem tem habilidade com cálculos, por exemplo, sabe fazer contas. Já quem tem competência na realização de cálculos, o faz de forma eficaz, aplicando esta habilidade na solução de alguma situação.

Estimulando a criatividade, é possível colocar nosso cérebro pra funcionar, característica do coaching! O grande gênio Leonardo da Vinci já trabalhava com esse princípio ao utilizar o que chamamos de escrita reversa: de trás para frente. Centenas de páginas de seus estudos foram escritos desta forma.

Que tal fazer a mesma coisa? Quando tiver um tempinho, pegue uma folha e procure trabalhar com a escrita: escreva com a mão contrária à qual você está habituada, ou escreva de trás para a frente, ou procure utilizar as duas mãos ao mesmo tempo.Faça tudo isto, crie novos exercícios. Este é um treino muito legal que vai fazer com que você estimule os dois lados do seu cérebro (lembrando que, ao trabalhar com o lado esquerdo do corpo, estimulamos o lado direito do cérebro-emocional, caso contrário, estimulamos o lado esquerdo – racional).

Considerando que a escrita reversa foge do padrão convencional, temos aí um exemplo de estímulo à criatividade. Você não precisa fazer isto o tempo todo.para estimular sua criatividade, mas pode mudar a forma como realiza diversos processos do dia a dia: andar pelo outro lado da rua, começar a limpar a casa pelo lado que você não está acostumada, trocar alguns objetos de lugar, fazer combinações diferentes de roupas, pegar a esponja com a mão contrária quando for lavar a louça, e assim por diante.

Você deve estar se perguntando qual será a diferença entre o coaching e outros procedimentos semelhantes, tais como a consultoria e a psiquiatria, afinal, os objetivos são comuns e parte dos processos também. Vamos diferenciá-los:

A consultoria faz um acompanhamento dentro da corporação. Prevê soluções para resolver problemas, faz um diagnóstico da situação-problema, e acompanha a implantação do processo e suas consequências e resultados.

A psiquiatria também acompanha a implantação, realizando um diagnóstico da situação. Porém, trabalha com os porquês do problema, investigando as suas causas.

Já o processo de coaching não dá respostas, tampouco soluções, mas levanta questionamentos, procurando estimular o indivíduo a respondê-los e observá-los, para que melhore sua performance e chegue ao objetivo almejado.

No processo de autocoaching, são adotadas algumas “perguntas-guia” que buscam orientar o indivíduo, como por exemplo:

- O que eu quero ao invés disso que tenho?

- Isso me deixa mais próximo ou distante do meu objetivo?

- Qual minha intenção positiva por trás disso?

- O que eu posso fazer para gerar em mim o que eu tenho como objetivo?

Essas perguntas nos mostram que, muitas vezes, o que vemos não é necessariamente o que parece ser. É preciso conhecer e visualizar  a situação como um todo, dentro de um contexto. Caso ela seja avaliada isoladamente, corremos o risco de interpretar mal ou erroneamente.

Para que realizemos o auto-coaching, é preciso autovisualização: focar no problema, em contraste com a solução, porém, situando-se no agora e nas atitudes que possam ser realizadas de momento, pensando sempre em soluções a curto prazo.

O SSE conversou com Rosana Alencar, Coach da T.O.Box, e aproveitamos para tirar mais algumas dúvidas sobre o assunto. Ela nos fala de forma objetiva sobre os conceitos de habilidades e competências e como os processos de autocoaching

Enjoy!

 

As qualidades imprescindíveis para ser uma boa Secretária Executiva

draft_lens2351218module98460431photo_1272808384Quality_Wallpaper_Nice_On

MOTIVAÇÃO – A motivação é uma das técnicas gerenciais, muito presente no dia-a-dia de uma Secretária Executiva, pois, sendo essa, um elo entre a alta hierarquia e demais clientes internos, a motivação deve ser a base para uma atuação adequada e harmoniosa.
A secretária pode atuar como agente motivador, transmitindo uma imagem positiva da sua área de atuação e promovendo o intercâmbio entre subordinados e chefias. Detalhes (aparentemente mínimos) como cumprimentar as pessoas; tratar a todos com igualdade, independente das diferenças culturais, sociais, econômicas, raciais e hierárquicas são fatores essenciais para a motivação; além de, lembrar detalhes pessoais como data de aniversário; elogiar um bom trabalho realizado, contribui, sobremaneira, para a motivação das pessoas (elas se sentem lembradas, reconhecidas).

LIDERANÇA – A liderança é mais uma das técnicas gerenciais. A secretária precisa conhecê-la para poder auxiliar seu gerente a praticá-la no dia-a-dia. Observamos que essa habilidade hoje faz parte do contexto pessoal e profissional de uma Secretária Executiva. O líder é alguém que sabe o que precisa ser feito e como conseguir que seu pessoal execute as tarefas, permanecendo motivados, em constante harmonia. O líder compartilha, delega, mas não “manda”, por isso, sua postura diante dos funcionários já é sempre positiva.

COMUNICAÇÃO – A comunicação é um tributo essencial da atividade humana. Dela depende o entendimento social, familiar e profissional. O êxito da empresa, da gerência, da Secretária, depende essencialmente da habilidade dos indivíduos se comunicarem. A comunicação deve ser clara, objetiva e flexibilizada de acordo com a cultura de cada funcionário, pois, para se concretizar uma comunicação é necessário que a mensagem enviada seja plenamente entendida e recebida pelo interessado.

ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO – A administração do tempo é nada mais, nada menos, que se planejar e organizar sua rotina diária, a fim de que o trabalho seja desenvolvido, sem afetar sua qualidade de vida, tanto pessoal, quanto profissional. Saber organizar-se utilizando o tempo de forma adequada e “eficaz” é um desafio que, para muitos gerentes tem sido o objetivo prioritário nas organizações que inclusive, dedicam por livre e espontânea vontade, várias horas em treinamento especializado no assunto, mesmo que as organizações não tenham ainda despertado totalmente para tal necessidade.É preciso administrar o próprio tempo e o do executivo também, tarefa árdua! A maioria dos treinamentos a respeito utilizam exercícios para serem feitos em parceria, pelo executivo e a Secretária.

RESPONSABILIDADE E DECISÕES – As atividades de uma Secretária ultimamente estão sendo enfatizadas pelo maior poder de decisão com que essas profissionais vêm atuando nos mais diversos segmentos organizacionais. A responsabilidade está sendo exigida a cada trabalho executado e a participação nas tomadas de decisões tem sido um verdadeiro desafio na carreira de uma Secretária, que vem respondendo satisfatoriamente às organizações.

INFORMÁTICA – Além da sua contribuição estratégica, uma das ferramentas essenciais no trabalho de uma Secretária é a informática que, sem dúvida, proporciona inovação no trabalho Executivo/Secretária tornando-o mais ágil e eficiente, permitindo, assim, que encontrem mais tempo para outras atividades. A informática é um processo que possibilita novos desafios que motivam a profissional a acompanhar as novas exigências da empresa por meio de cursos para dominar conhecimentos em diversas áreas. Assim, a evolução profissional é dinamizada, para atingir o novo status, e é necessário entender que Secretária é uma profissão e não apenas uma função. É imprescindível estar sempre buscando o aperfeiçoamento e se atualizando em outras áreas. As empresas buscam Secretárias empreendedoras e polivalentes, com perfil de assessora, e que não somente atendam aos executivos, mas também estejam interadas das metas e resultados.

IMPORTÂNCIA DOS IDIOMAS – Num mundo em que tudo gira em torno da globalização é impossível esquecer a real importância de se dominar um segundo idioma. A língua mais imposta pelos países é o inglês, que deixou de ser apenas desejável para ser imperativa, porém, hoje o idioma espanhol está dominando também, o mundo dos negócios. Aprender um novo idioma não é mais um diferencial de um universo restrito de pessoas, mas uma necessidade básica para profissionais que atuam nas mais diversas áreas e para quem está se preparando para ingressar no cada vez mais competitivo mercado de trabalho. Hoje, para se conseguir um bom emprego, é necessário ingressar numa faculdade, fazer um bom curso de idiomas ou mesmo uma viagem de intercâmbio ou estudos. Conhecer e aprofundar-se no inglês há tempos deixou de ser um privilégio de poucos para cair nas graças de muitos. Exigir fluência no idioma é uma prática comum em diversas empresas, devido à internacionalização dos mercados mundiais, que transformou o inglês numa língua universal. O mercado atualmente considera requisito básico, no momento da contratação, que o candidato domine o inglês e, se possível, conheça um outro idioma, como espanhol ou alemão, por exemplo.

E, para terminar, o bom humor! Essa profissional tem tarefas intermináveis, mas está sempre cumprindo suas responsabilidades com um sorriso nos lábios, e sempre disposta a trabalhar mais e mais! Isso com certeza é mais uma qualidade muito relevante, pois cumprir suas funções e manter-se motivada é para poucas!

Boa semana de trabalho meninas! Continuem exercitando suas habilidades de super secretárias executivas!