super secretária executiva

Escolher uma profissão não é a tarefa mais fácil do mundo. Nós sabemos disso! Pensando nisso, o Super Secretária Executiva entrevistou uma secretária executiva de uma multinacional, vamos conferir o que a Sirlei Corrêa (Secretária Executiva da Direção Qualidade Mercosul na Renault do Brasil S.A) nos conta sobre sua carreira?

Super Secretária Executiva: Sirlei, como foi o início de sua carreira? Enfrentou muitas dificuldades para chegar ao sucesso?

Sirlei: Durante o período da faculdade, foi à época mais difícil da minha vida, em termos financeiros. Não ganhava o suficiente para pagar a mensalidade e minha mãe inteirava o valor que faltava a cada mês. Assim durante a faculdade eu não tinha dinheiro para nada, mas para nada mesmo, nem para um simples pãozinho que custava alguns centavos.

E foi nesta mesma fase que iniciei minha vida profissional, meu primeiro trabalho registrado foi na Aliança Francesa de Curitiba, depois fui recepcionista nos escritórios da Demertco & Cia (Mercadorama), e ousei durante a faculdade estagiar na área, na New Holland Latino Americana, ali muito aprendi sobre a profissão.

Um dia na aula de informática o Professor Joel Krüger perguntou se alguém falava francês na turma, eu estava ausente e as meninas lembraram de mim. No dia seguinte o procurei e recebi o convite para trabalhar no GTU – Instituto Internacional de Gestão Técnica do Meio Urbano, um instituto criado entre um acordo da Pontifícia Universidade Católica do Paraná e a Université de Technologie de Compiègne (França). Ali eu traduzia as aulas dos professores francês que vinham a cada mês ministrar aulas de urbanismo em diferentes temas (gestão do lixo, gestão ads águas, iluminação pública,…), como os alunos não falam o francês nem os professores o português, eu fazia esta ponte. Foi muito interessante este trabalho e daí veio a idéia de ser professora universitária um dia. Do GTU também eu ganhei um curso de pós-graduação,  e aproveitei a oportunidade para cursar a disciplina Habilitação ao Magistério do Ensino Superior.

Do GTU eu saí para a Renault do Brasil em 1997, li que a montadora estava se instalando no Brasil e mandei um currículo atualizado, dias depois fui chamada para as entrevistas, foram muitas e um mês depois lá estava eu trabalhando como Secretária Executiva na Renault do Brasil. Lembro que as pessoas perguntavam, como eu havia feito para entrar na Renault, e eu respondia que tinha enviado meu cv atualizado, ninguém acreditava que eu não tinha “padrinho” algum que ninguém me havia indicado, o que fez a diferença foi o fato de falar o francês fluente e ter me formado em uma Instituição de renome, porque os francês pouco conheciam do Brasil.

SSE: Diante das dificuldades, pensou em algum momento desistir e mudar de profissão? E o que a fez não desistir?

Sirlei: As dificuldades para as pessoas da periferia e baixo poder aquisitivo era o mesmo independente de qual fosse à profissão escolhida, cursar uma universidade era uma ousadia.  Mas o Secretariado teve um diferencial sim, por ser uma profissão que nos prepara para a vida porque, por exemplo, quando aprendemos como lidar com chefes difíceis, podemos aplicar ao marido, filho, pai,… assim aprendi no secretariado muitas formas de manter-me motivada e ir até o fim.  Além disso, o secretariado nos ensina a ser ótimos organizadores de eventos, monitoramos facilmente um check list, nos relacionamos facilmente com as pessoas, somos organizados, sigilosos e bastante humanos.

SSE: Como é a realidade de um profissional de secretariado executivo dentro de uma grande organização? Porque ouvimos que nem sempre tudo que aprendemos na faculdade é colocado na prática…

Sirlei: A rotina de uma Secretária de Direção é extremamente agitada, não existe “monotonia” nem repetição de tarefas, um dia que começa calmo, pode se alterar a partir de uma simples ligação. Não realizamos mais só as técnicas secretariais, nos é exigido muito mais, atuamos em nível de gestão.  Além do nosso lado humano, pois fazemos a ligação entre nosso executivo e a equipe toda.

Também realizamos tarefas técnicas, como prever todo o orçamento trienal para toda direção, organizamos viagens nacionais e internacionais, seminários e eventos, prevemos todas as compras e pagamentos da direção, isso tudo entre diversas ligações e reuniões a serem programadas outras canceladas,  a dinâmica da agenda de um executivo é infernal.

É claro que ainda temos que lidar com a frustração de não poder colocar em prática tudo que aprendemos em sala de aula, isso por conta dos procedimentos, regras e políticas internas das instituições, sejam elas nacionais ou internacionais. O conselho aqui é de, sobretudo respeitar e com o tempo  incorporamos estes procedimentos.

SSE: E quanto ao reconhecimento, eles são valorizados pelo seu trabalho?

Sirlei: Não colhemos os louros diretamente, estes cabem aos nossos executivos. Eu me sinto reconhecida quando ele é elogiado pela brilhante apresentação, pelos Power Point’s impecáveis, pelos gráficos corretos, pela pontualidade… entre outros, porque sei que tem a minha participação direta.

SSE: Os idiomas é mesmo a chave do sucesso para este profissional?

Sirlei: Sou secretária de direção de uma multinacional há 14 anos, nela passei por muitas direções e hoje sou secretária da Direção Qualidade Mercosul.

Nestes 14 anos é a primeira vez que tenho um chefe brasileiro, até então eram todos franceses que não falam o português, isso exemplifica bem o quanto o idioma estrangeiro é importante.

SSE: Para quem deseja ingressar dentro de uma multinacional, é necessário…?

Sirlei: Ética em primeiro lugar, o mundo corporativo já não tem espaço para um profissional antiético.

Postura profissional; levamos o nome de toda uma classe de profissionais que lutam por mudar a imagem da profissão e firmar a seriedade.

Fluência em línguas estrangeiras modernas.

Equilíbrio emocional.

Não abrir mão de seus valores pessoais, lembrar que existe vida pós trabalho.

Ter tempo para os outros, e o voluntariado aqui é uma boa pedida.

SSE: Para aqueles que estão iniciando sua carreira agora, que conselho você daria?

Sirlei: Não desanimem, sejam persistentes porque há tempo para plantar e tempo para colher.

E a colheita é muito abençoada quando plantamos com amor, além de que a profissão de Secretariado é de fato Sagrada.

SSE: Suas informações foram suuuper importantes para nós! Agradecemos muito a sua colaboração. Obrigada!! :D

Sirlei Corrêa é :

  • Especialista em Educação e Administração de Trânsito, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC – PR   (1995)
  • Graduada em Secretariado Executivo, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC – PR  (1994)
  • Possui o diploma de Francês NANCYI I e II – em convenio entre Alliance Française de Curitiba e a Universidade de Nancy – França.
  • Atua como Secretária Executiva da Direção Qualidade Mercosul na Renault do Brasil S.A desde junho de 1997.
  • Foi docente na Facinter de 2000 – 2010;  ministrou as disciplinas de Técnicas Secretarias I e II, Técnicas Secretarias Internacional – Francês e Orientação de Estágio.
  • Foi professora de Técnicas Secretarias e Estagio Supervisionado da FAMEC –  Faculdade da Região Metropolitana de Curitiba.
  • Foi tradutora (Francês – Português)do curso de Especialização de Gestão Técnica do meio Urbano conveniada com as universidades Pontifícia Universidade Católica do Pr – PUC PR e a  Univesité de Technologie de Compiegne – UTC – França (de 1993 a 1997).

Founder do Super Secretária Executiva, Michele Tesser Pedroso é formada pela UNINTER em Secretariado Executivo Trilingue, desde 2009.





  1. Pamela says:

    Olá, sou graduando do curso de secretariado na Uninter e estou fazendo meu tcc voltado para o uso do inglês em multinacionais. Por isso, gostaria do contato da Sirlei Correa, para uma possível entrevista. Obrigado.

Click Here to Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>